Radio Manga FM
Publicidade
Manga/MG
Min.
Máx.
Ellie Goulding aprende piano e quer cantar pop 'para superar sentimentos ruins do mundo hoje'
11/02/2019

Cantora inglesa fala ao G1 sobre álbum novo, hits colantes com influência da Suécia, preguiça das redes sociais e jeito peculiar de cantar: 'Minha voz é um reflexo do meu estilo vida'. Ellie Goulding Divulgação/Universal Ellie Goulding está em Londres e precisa correr do começo de uma tempestade de neve antes de falar por telefone com o G1 sobre seus planos para 2019, após mais de três anos sem álbuns. Neste tempo, a cantora inglesa de voz aerada passou mais tempo em Nova York do que na capital inglesa, onde oficialmente mora. Nos EUA, aprendeu a tocar piano, perdeu o encanto pelas redes sociais e decidiu que quer fazer com que sua música seja cada vez mais pop. "Eu me dei tempo para aprender coisas novas. Aprender a tocar piano me fez entender a música de uma forma totalmente diferente, escrever de outra forma. É tão diferente de tocar violão, então... Tem um pouco mais de autenticidade no piano." Quem ouve "Close To Me", lançada em outubro passado, logo percebe uma busca por algo mais leve. "No último disco, notei que estava lidando com as coisas com muita seriedade, eu fui virando essa pessoa séria demais. Eu me empolguei com a ideia de lançar uma música que não precisasse ser triste ou feliz, mas ter uma energia." "Queria algo que as pessoas pudessem ouvir no carro. Queria uma trilha para superar esses sentimentos ruins do mundo hoje. Algo para ouvir e esquecer de tudo." No programa G1 Ouviu, veja trecho do clipe e análise de 'Close to me', da Ellie Goulding Refrão colante (com cola sempre bem ralinha) é uma especialidade de Ellie. "Lights", "Anything Could Happen", "Burn" e "Love Me like You Do" são hits com sintetizadores e malabarismos vocais. "Eu me dedico a fazer música pop desde bem nova", explica Ellie. "Sempre gostei de estudar a estrutura de uma boa canção pop. Sou fascinada em ser perita em música pop, porque é incrível usar uma fórmula para fazer um álbum, mas ainda com emoção." "Meus álbuns têm músicas mais pegajosas que são um contraponto para outras mais calmas. Faz parte da arte: às vezes, você precisa de hits para capturar a atenção para outras menos pop." A Suécia é logo ali E teria Ellie influência do pop com DNA sueco? "Tem muito compositor do pop que é da Suécia, como Max Martin, que eu amo demais... Ele fez tanto discos lindos de pop", elogia, citando o produtor já ouvido com incontáveis boy bands e cantoras, incluindo Ellie. "É uma coisa deles, há um passado da música pop sueca com toda a força do Abba... Você consegue entender por que a Suécia deu vida a tantos criadores de hits." Mas mesmo babando em Martin e trabalhando com Diplo e Swae Lee em "Close to Me", Ellie quer menos parcerias em seu quarto álbum, ainda sem data confirmada. Ela diz que será "um novo capítulo de sua vida maluca". "É um disco com tudo o que importa para mim, o que fez parte de mim nos últimos anos. Ele é mais pessoal e bem mais focado na minha voz." Sobra talento para compor, falta voz? Por falar em voz, a forma com a qual ela fala com o G1 é bem parecida com a qual ela canta. "Minha voz é um reflexo do meu estilo vida", explica ela. "E, na minha vida, eu não fico fazendo loucuras por aí... Eu não abuso muito, tomo muito chá e nado bastante." Os vocais de Ellie vão do agudo e doce ao mais frágil, parecendo até que falta um pouco de ar entre um verso e outro. Ela conta que precisa fazer mais aquecimentos vocais do que seus colegas. "Tento não mudar meu modo de cantar, mas sinto que venho evoluindo com o tempo." Initial plugin text Serena durante toda a entrevista, Ellie só altera o tom ao falar de sua preocupação com o meio ambiente. Ao entrar na moda do "desafio dos 10 anos", preferiu fazer um "antes e depois" sobre aquecimento global. "Na maioria das vezes, a internet é usada para coisas triviais e claro que gosto de usar internet para me divertir, mas é possível ir além... Minha mente fica fervilhando quando penso nas possibilidades, no que pode ser discutido sobre o futuro, em vez de só ficar postando fotinho no Instagram." Ellie diz que é preciso tentar usar "todo o potencial da internet". "As pessoas ainda ignoram o que está acontecendo com o planeta, mas eu me recuso a desistir. Sempre vou falar sobre a necessidade de cuidarmos deste planeta." Ellie Goulding se apresenta no Lollapalooza 2014, em São Paulo Flavio Moraes/G1
Fonte: G1
21:00 as 21:00
Publicidade
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
R: Prudente de Moraes Nº: 181 B: Centro - Manga/MG
Ligue agora
(38) 9913-1893
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS